Conselheiro do IASP Elias Farah reúne artigos sobre questões jurídicas em livro

30 de maio de 2019

Por Avocar Comunicação

Publicação, sob o título “Reflexões Jurídicas”, traz mais de 60 textos escritos pelo advogado nos últimos três anos

Sem intenções comerciais, mas com o intuito de contribuir para o debate contemporâneo de temas jurídicos, o conselheiro e associado emérito do Instituto dos Advogados de São Paulo (IASP) Elias Farah reuniu mais de 60 artigos sobre diversos assuntos no seu nono livro. Da história de Rui Barbosa à trajetória do IASP, da inviolabilidade do escritório de Advocacia à ética empresarial, a publicação é um exercício reflexivo com textos de grande qualidade.

“Essa empreitada me garante uma satisfação pessoal de presentear amigos e intelectuais. Faço pelo mero prazer de oferecer”, afirma Farah, que doou um exemplar para a Biblioteca Arnoldo Wald, do IASP.

Boa parte dos artigos foi publicada em periódicos especializados, como o Jornal do Advogado e do Instituto de Estudo e Pesquisa do Hospital Sírio Libanês. Questões jurídicas envolvendo assuntos médicos e de saúde estão presentes com destaque no livro. O autor analisa temas ligados diretamente aos profissionais de saúde, como, por exemplo, o médico em face do Código de Defesa do Consumidor ou os riscos legais da omissão de socorro.

O livro inicia com o poema “Verdade”, de Carlos Drummond de Andrade, e com uma citação de Rui Barbosa. “A pátria não é ninguém: são todos, e cada qual tem no seio dela o mesmo direito à ideia, à palavra, à associação. A pátria não é um sistema, nem uma seita, nem um monopólio, nem uma forma de governo: é o céu, o solo, o povo, a tradição, a consciência, o lar, o berço dos filhos e o túmulo dos antepassados, a comunhão da lei, da língua e da liberdade”, escreveu o jurista que, segundo Elias Farah, teve uma trajetória luminosa.

Assinam apresentações do livro os juristas Milton Paulo de Carvalho, Carlos Alberto Dabus Maluf e Carlos Aurélio Mota de Souza.

A presença do livro na biblioteca do IASP é motivo de regozijo de Farah. “Prezo muito o instituto, tenho grande amor pela entidade, da qual tenho orgulho de ser associado emérito”, afirma o jurista.

Luís Indriunas