IASP adota escola na zona leste de São Paulo com projeto sobre cidadania

WhatsApp Image 2018-07-27 at 12.16.22 (1).jpeg

8 de agosto de 2018
Por Luís Indriunas, da Avocar Comunicação

A Escola Estadual Barão de Ramalho, na Penha, recebe voluntários do IASP para discutir problemas que preocupam os alunos e inicia projeto de revitalização da área

Em 2017, o IASP (Instituto dos Advogados de São Paulo) aderiu ao Projeto de Adoção Afetiva da Secretaria Estadual de Educação. Iniciado um ano antes, o programa lançado pelo então secretário José Renato Nalini procura a participação de empresas e instituições interessadas em ajudar as escolas estaduais com trabalhos voluntários dentro de suas áreas de atuação.

Ao ser procurado, o presidente do IASP, José Horácio Halfeld Ribeiro, aceitou de pronto o convite e, por uma feliz coincidência, foi designada a Escola Estadual Barão de Ramalho, que leva o nome do fundador do instituto.

Durante um ano, especialistas estiveram mensalmente na escola conversando com alunos do 9º ano. Num primeiro momento, foram abordadas noções sobre cidadania, mas ao abrir para os debates, José Horácio e o diretor de Relações Institucionais do instituto, Frederico Prado Lopes, que está a frente do projeto, perceberam que havia demandas importantes dos próprios alunos. 

Assim, foram feitas discussões e uma votação com os cerca de 160 alunos, para que eles escolhessem temas que consideram relevantes debater. A questão da violência em suas várias formas foi levantada e, então, durante todo o ano de 2017, os estudantes se debruçaram sobre os temas do bullying, assédio sexual, violência contra mulher e pedofilia.

As questões legais sobre o assunto foram detalhadas e, mais do que isso, foram pensadas formas de conscientizar todos os alunos da escola e suas famílias sobre os problemas. Dessa forma, ao final de um ano, duas campanhas foram realizadas. A temática do bullying gerou um vídeo com depoimentos dos alunos que sofreram ou provocaram a agressão. Para os outros assuntos, foram produzidos cartazes anexados posteriormente nos corredores da escola.

“Os advogados, quando vêm, abrem esse espaço para o aluno; eles, assim, discutem em uma construção mútua”, observa o diretor Vagner Theodoro.

“Foi muito gratificante e enriquecedor perceber que, a partir das escolhas dos próprios alunos, conseguimos avançar juntos na qualidade de vida de todos. Ajudamos eles a pensar sobre seus problemas”, comemora Frederico.

A influência foi tão positiva, que uma aluna tomou coragem e denunciou um caso de abuso que está hoje sendo acompanhado por profissionais voluntários.

Dois projetos em 2018

Para este ano, o projeto de adoção se ampliou. Os voluntários começaram o trabalho com os novos alunos do 9º ano, que, desta vez, escolheram o tema Drogas e Violência. Entre os convidados está um defensor público que irá mostrar as consequências legais do uso de entorpecentes ilegais.

No entanto, o grupo do IASP não deixou para trás os alunos que agora estão no 1º ano do ensino médio, que continuam sendo contemplados nas atividades.

Carente de recursos, a escola tem uma grande área verde que liga o prédio à quadra poliesportiva e que precisava ser revitalizada. Com a ampliação da parceria, alunos do ensino médio estão elaborando junto com profissionais convidados um projeto de arquitetura e paisagismo que conta com intervenções de lazer para o espaço. Participam voluntariamente deste projeto: Marino Barros, da LAB Arquitetos; Fernando de Magalhães Mendonça, da PPMS Arquitetos Associados; 

Claudio Mariutti, da Arboreto Paisagismo; Gilberto Camargo, da Camargo Topografia; Alex Sandro Martins Piro e Andrerson Alex Martins Piro, da MP Terraplenagem Engenharia e Construção.

A intenção é, além de oferecer os serviços, garantir que os próprios alunos decidam sobre o que vão fazer, e recebam noções práticas e teóricas sobre a elaboração e efetivação deste tipo de projeto, a partir de aulas com os próprios voluntários. “O objetivo é que eles ponham a mão na massa, para que deem valor ao que conquistaram e, talvez, quem sabe, alguém comece a trabalhar na área”, detalha Frederico.

Com tanta coisa sendo feita, o programa está aberto a todos os que se interessarem em ajudar. Atualmente, ela conta com a contribuição engajada da Comissão de Novos Advogados do IASP. Se você quiser participar, entre em contato pelo email iasp@iasp.org.br.

Luís Indriunas