Nas comemorações dos seus 144 anos, IASP empossa 80 novos associados com a presença de diversas autoridades

29 de novembro de 2018

Por Avocar Comunicação

No Palácio da Justiça, cerimônia oficial do Instituto também premiou as vencedoras do Concurso de Monografias Esther de Figueiredo Ferraz

Como parte das comemorações dos 144 anos do Instituto dos Advogados de São Paulo (IASP), 36 dos 80 novos associados participaram da posse solene em cerimônia realizada no Palácio da Justiça, no dia 28 de novembro.

Na mesma ocasião, Isadora Alessandra Sancassani Pinheiro e Amanda Carolina Santos Pessoa receberam o Prêmio de Monografias Esther de Figueiredo Ferraz pelos estudos que escreveram a partir do tema “Avanços e Retrocessos nos 30 anos da Constituição Federal”.

Veja as fotos da cerimônia no Palácio da Justiça, clicando aqui.

Ao lembrar as palavras de Barão de Ramalho, fundador do Instituto, o presidente José Horácio Halfeld Rezende Ribeiro destacou o objetivo do IASP de ser “guardião da cultura”, com a recomendação de que “o estudo do Direito deve ter aplicação na prática”.

“O Instituto, mais do que tudo, representa um ambiente especial, onde todos nós podemos nos moldar, nos aprofundar, conviver, dialogar e, com isso, nos tornamos, não só profissionais melhores, mas seres humanos melhores.”, destacou José Horácio, que se despede de seis anos de gestão.

Os novos associados foram diplomados pela vice-presidente Maria Garcia e pelos diretores Nilton Flávio De Almeida Camargo Lautenschläger, Flávio Maia Fernandes Dos Santos e Alexandre Jamal Batista.

Como associado honorário, o desembargador federal Fabio Prieto saudou os novos associados, lembrando que o IASP, desde sua fundação, esteve à frente de questões relativas ao bom funcionamento da Justiça, como no episódio na defesa da independência dos juízes em 1892, quando protestou contra a inobservância da regra do concurso público para o cargo de juiz de Direito. Leia seu discurso aqui.

Prieto também aproveitou a presença da ex-ministra Ellen Gracie na cerimônia para homenagear o voto dado pela por ela, então no Supremo Tribunal Federal (STF), contra a Reforma do Judiciário.

Em nome dos novos associados, o presidente do Colégio de Presidentes dos Institutos dos Advogados e do Instituto dos Advogados Piauiense (IAP), Álvaro Fernando da Rocha Mota, ressaltou a importância de influenciador das grandes questões nacionais do instituto paulista. “O IASP, pela centralidade do Estado em que se sedia, obedece à lógica da pedra no lago: espalha do centro para as bordas do país um rol de conhecimentos, ideias e propostas”. Leia seu discurso aqui.

Por conta dos últimos dias de gestão de José Horácio no IASP, o presidente da Associação dos Advogados do Mato Grosso, Fabio Arthur da Rocha Capilé, prestou-lhe uma homenagem, entregando-lhe um troféu (confeccionado pelo próprio Capilé), em reconhecimento a “todos os trabalhos realizados a frente do Colégio de presidentes”.

A ex-ministra Ellen Gracie deu posse ao seu genro Mauro Eduardo Aspis como associado do IASP, oportunidade na qual ressaltou a vocação do Instituto. “É preciso que nós tenhamos uma visão muito clara do que é a realidade nacional, para que possamos, nós, os juristas, não apenas seguirmos os acontecimentos, mas colocarmos instrumentos, métodos e modos de fazer mais avançados à disposição dos nossos cidadãos”.

Ellen Gracie fez questão de frisar que a honra de ser a primeira mulher ministra da Suprema Corte deveria ter sido de Esther de Figueiredo Ferraz, homenageada com o prêmio de monografias.

José Horácio entregou o diploma de posse ao secretário municipal de Justiça, Francisco Reziek.

A cerimônia foi aberta pelo presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP), Manoel de Queiroz Pereira Calças, que fez questão de lembrar que o IASP e o TJSP são praticamente irmãos gêmeos.

Monografias

Com o tema “Avanços e retrocessos nos 30 anos da Constituição Federal: pressupostos para reforma”, a versão de 2018 do Prêmio Esther de Figueiredo Ferraz, uma parceria do IASP com o Centro de Integração Empresa Escola (CIEE), premiou duas mulheres.

Na categoria profissional, Isadora Alessandra Sancassani Pinheiro foi premiada pela monografia “Supremo Tribunal Federal: comentários à investidura e os critérios de escolha de seus membros”. Na categoria estudante, Amanda Carolina Santos Pessoa venceu com a monografia “30 anos da Constituição Federal de 1988: um marco histórico contornado por conquistas e desafios”. As obras foram publicadas pela editora IASP.

O presidente do Conselho de Administração do CIEE, Antonio Jacinto Caleiro Palma, entregou o prêmio às vencedoras, destacando a importância de incentivar o pensamento e o estudo no Brasil atual.

Somando-se aos já citados, estiveram presentes na cerimônia o presidente da Academia Brasileira de Direito Criminal e presidente da Cátedra, Sérgio Vieira de Mello; da PUC-SP e do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), desembargador Marco Antonio Marques da Silva; o secretário da Justiça e Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo, Márcio Fernando Elias Rosa; o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil - Seção São Paulo, Marcos da Costa; o presidente da Associação dos Advogados de São Paulo, Luiz Périssé Duarte Júnior, o presidente eleito do IASP para o triênio 2019-2021, Renato de Mello Jorge Silveira; o presidente da International Bar Association, Horacio Bernardes Neto; o ex-presidente do IASP, Rui Celso Reali Fragoso; o ex-presidente do Colégio de Presidentes dos Institutos dos Advogados do Brasil, José Anchieta da Silva; o vice-presidente do Colégio de Presidentes dos Institutos dos Advogados do Brasil e presidente do Instituto dos Advogados do Paraná, Hélio Gomes Coelho Júnior; o presidente do Instituto dos Advogados de Minas Gerais, Felipe Martins Pinto e o presidente do Instituto dos Advogados de Goiás, Flávio Buonaduce Borges, além de juízes, desembargadores, membros do Ministério Público, Defensoria Pública e advogados.

Luís Indriunas