Conselho do IASP outorga título de associado emérito a Elias Farah

31 de outubro de 2018

Por Avocar Comunicação

Durante a reunião de outubro, foram também discutidas medidas para agilizar a Câmara de Mediação e Arbitragem e reativar o Prêmio Carvalho de Mendonça de Direito Comercial

“Aos advogados cumpre manter o homem e seus valores essenciais sempre no centro do universo”. Esta foi uma das conclusões do pronunciamento do advogado Elias Farah ao receber a outorga de associado emérito do Instituto dos Advogados de São Paulo (IASP) na reunião de Conselho e Diretoria ocorrida em 24 de outubro.

Com mais de 80 anos e décadas de dedicação à advocacia, Farah recebeu a homenagem do presidente do IASP, José Horácio Halfeld Ribeiro, que recordou a presença de Farah na sessão em que ingressou no Instituto. José Horácio destacou as várias oportunidades de compartilhamento de momentos com o doutor Elias Farah, “que ama essa instituição” e que esteve presente “em todos os momentos e, nos momentos mais sensíveis, foi aquela mão firme e segura na condução”.

Citando diversos autores, de Rui Barbosa a Carlos Drummond de Andrade, de Pier Calamandrei a Bernard Shaw, Farah não se furtou a examinar o momento político atual à luz da sua experiência e da importância da advocacia. “Não há como dispensar nossos serviços. Nenhuma sociedade organizada juridicamente, que vale dizer, nenhuma civilização real caminha sem nós”, disse o jurista, citando Plínio Barreto.

Farah destacou também que o IASP é “um autêntico laboratório do saber”. “O IASP é uma glória para a Justiça, a nação muito lhe quer pelo que representa. Estamos todos a partilhar os mesmos ideais”.

Defendendo os direitos humanos e os homens, Farah encerrou seu discurso, lembrando a necessidade do respeito e do amor, observando que o Código Civil atual tirou a única referência ao substantivo para substituí-lo pela palavra “interesse”. “Desapercebidos, vamos perdendo o amor do tudo de bom que o mundo nos oferece”, disse o magistrado, aplaudido de pé pelos presentes.

Na mesma reunião, foi ratificado o nome da professora Maria Helena Diniz para receber o Prêmio Barão de Ramalho deste ano.

Três pareceres, aprovados por unanimidade, também garantiram a concessão do título de associados honorários aos ministros Alexandre de Moraes, Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), e Mauro Campbell Marques, do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Durante o encontro, sete novos associados tomaram posse administrativa e outros 13 nomes foram aprovados pelo Conselho.

Milton Paulo de Carvalho foi o escolhido para receber os novos associados. “Imagino quanta alegria terão os que hoje foram admitidos. Com absoluta convicção, é a nossa casa, onde nos sentimos bem, é onde temos companheiros que pensam como nós, é onde temos amigos.”

Em nome dos novos associados, falou Cristiano de Oliveira Lopes Cozer: “É uma satisfação muito grande, assim como a dos nossos colegas, integrar essa casa, essa família. É um trabalho feito com cada pecinha dos integrantes. Espero estar à altura do instituto e do que ele representa”.

Câmara de arbitragem e prêmio

Além das homenagens que marcaram a reunião, foram discutidos outros assuntos para o aprimoramento dos serviços que o IASP pode oferecer.

Foram detalhadas as novas regras de funcionamento propostas para a Câmara de Conciliação e Arbitragem do Instituto, reabrindo a oportunidade para associados e especialistas cumprirem o dever de garantir uma negociação balanceada entre as partes. O detalhamento foi feito por Ricardo Peake Braga, presidente da Comissão de Estudos de Direito do Trabalho, área que deve ser a primeira a receber os serviços com a nova formatação.

Por fim, Renato Rodrigues Tucunduva Filho apresentou os primeiros estudos para a reativação do Prêmio Carvalho de Mendonça. Voltado para os acadêmicos que desejam se aprofundar no Direito Comercial, o prêmio foi criado em 1929 e mantido por vários anos. A intenção do instituto é torná-lo novamente uma referência na área.

Luís Indriunas